quarta-feira, 14 de outubro de 2009

No Mar

"No Mar" por Cristina

Das torres de areia e silêncio
Uma mulher se ergue no espaço,
Abraça a cal do tempo. Ama só
E murmura à espera do encanto.
Líquida como a água,
Arcaica como o sonho.
De sangue e carvão verte as veias,
Chora a desventura, ri do que vem.
“- O mar sou eu”. Remota feito tempo,
Mira o rosto ao firmamento; nada vê...

Nas agruras da chuva que não vem,
No inconstante das ondas caudalosas.
Sem reposta ou esperança
Dissolve a vista que erra a esmo,
Abre o peito, resiste à dor.
Pra um dia se encontrar e morrer,
De uma vez ir e se perder,
Na promessa de um mar sem termo.

*Leandro M. de Oliveira
**A você Cris, mais uma vez minha amizade e meu zêlo. Que o mar se abra pra que possamos fazer a travessia derradeira.

4 comentários:

monica disse...

Oi Leandro..."No mar" é tão
bonito,que chega dar um dor
no coração...
A arte da Cristina é especial!
a possibilidade do mar se abrir,
me levou ao Êxodo...

Vou anexar no seu email,
uma imagem de bom dia!
um abraço,
Monica

Leandro disse...

Olá Monical, mais uma vez obrigado pelas palavras e pelo carinho.

Menina do mar disse...

Cheguei, agradeço desde já a tua visita ao meu blog e o convite para cá vir ter!
E em boa hora... muitos parabéns pelo espaço maravilhoso que tens aqui, MAR(avilhosa) forma como escreves!
Até breve!

Edna Fadinha disse...

Oi Leandro
Olha eu sou fã dos cantores mineiros como Flavio Venturini,Lô Borges,Beto Guedes e João Bosco que inclusive fui em vários shows dele por aqui,e que viajo quando ouço Corsário.
Falar de minas e dos mineiros é bom de mais da conta.
Espero que tenha um ótimo Fim de semana!
Bjs